Fevereiro 24, 2019

Login to your account

Username *
Password *
Remember Me

Create an account

Fields marked with an asterisk (*) are required.
Name *
Username *
Password *
Verify password *
Email *
Verify email *
Captcha *
Reload Captcha

Perovskita, o mineral raro que poderá deixar a internet 1000 vezes mais rápida

A perovskita, como o cientista Gustav Rose a chamou quando a descobriu nos Montes Urais, na Rússia, em 1839, é um mineral de óxido de titânio e cálcio. Mas, de acordo com a revista Forbes, sua mágica reside na capacidade de reter muitos cátions (íons com carga positiva diferente) em sua estrutura física, dando aos engenheiros a capacidade de modificar o mineral como bem entenderem. E enquanto os cientistas sabem sobre o mineral há muito tempo, os pesquisadores continuam a achar útil.

No mundo, a perovskita foi encontrada nas minas do Arkansas, dos Urais, da Suíça, da Suécia e da Alemanha, e cada variedade é um pouco diferente. Por exemplo, em 2009, sua capacidade de absorver a luz do sol e gerar eletricidade foi descoberta. Uma forma natural de célula solar. Atualmente, o minério está em desenvolvimento para uso em painéis solares, telas e motores de carros alternativos.

De acordo com Trevor Nace, geólogo e fundador da revista Science Trends, na revista Forbes, os cientistas descobriram recentemente a virtude do mineral de transferir dados através da radiação terahertz. O mais surpreendente é que, como é um mineral que em poucas palavras “absorve a luz”, usa essa luz em vez da eletricidade para transferir esses dados, o que permite velocidades mil vezes mais rápidas que a tecnologia atual.

Vamos voltar um momento. A frequência de radiação em terahertz ainda é uma pesquisa nas “fraldas”, mas sabe-se que a banda está entre luz infravermelha e freqüência radial (entre 100 e 10.000 gigahertz). Isso em comparação com a faixa de 2,4 gigahertz de telefones celulares de hoje. O minério de perovskita em camadas pode transferir dados através de ondas de luz na banda terahertz usando um mecanismo relativamente barato: halogênios.

Usando uma lâmpada de halogênio, a equipe de cientistas descobriu que eles poderiam modificar essas ondas enquanto passavam pela perovskita. Então eles codificaram os dados em ondas e os transferiram 1.000 vezes mais rápido.

“Esse avanço tecnológico abre as portas para o uso da transferência de dados terahertz na computação e na comunicação de geração futura. Mil vezes mais rápido, essa maneira barata e fácil de transferir dados apresenta uma infinidade de oportunidades para transformar nossas vidas digitais. Infelizmente, teremos que esperar pelo menos 10 anos até que esteja comercialmente pronto de acordo com os autores. Quando chegar a hora, isso poderá apresentar uma mudança radical na computação e na comunicação “, escreve Trevor Nace.

 

Compartilhe nas redes sociais:
Avalie este item
(0 votos)
Última modificação em Quarta, 24 Outubro 2018 21:58
Equipe Engenheiro S/A

Selfies labore, leggings cupidatat sunt taxidermy umami fanny pack typewriter hoodie art party voluptate. Listicle meditation paleo, drinking vinegar sint direct trade.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Mais Lidos

Gestão de Problemas em Projetos

Gestão de Problemas em Projetos

Out 21, 2018 Rate: 0.00

Os Problemas em Projetos

Os Problemas em Projetos

Nov 02, 2018 Rate: 1.00

Siga pelo Facebook

Galeria

Novas luzes inteligentes para a iluminação urbana

O QUE OS EXECUTIVOS DEVEM EXIGIR DE SUAS EQUIPES DE PROJETOS

Piauí tem o maior parque de energia solar em operação na América do Sul

Introdução a Duração Agregada

A aposta de Bill Gates (Grupo BEV) em Energia Geotérmica

Os Problemas em Projetos

A Volkswagen vai recompensar os alemães que abandonarem os seus carros mais poluentes

BNDES aprova R$ 6,7 milhões para fazer rede de recarga de carros elétricos

Perovskita, o mineral raro que poderá deixar a internet 1000 vezes mais rápida

© 2019 Engenheiro S/A. Todos os direitos reservados.