Junho 21, 2019

Login to your account

Username *
Password *
Remember Me

DESIGN THINKING - Ferramenta para soluções inovadoras

Em um mercado bastante competitivo, as organizações necessitam de ferramentas para melhorar a performance da gestão, métodos híbridos e agilidade organizacional sempre são temas discutidos nas empresas, pois a inovação juntamente com a melhoria continua são primordiais para se manterem competitivas.

1 – DEFINIÇÃO

O aumento da utilização dessa ferramenta como um método para soluções de problemas deve-se muito a empresa de consultoria IDEO e seu fundador David Kelley. A IDEO atendeu grandes empresas como Apple, Microsoft, GE, 3M e Ford.

O Design Thinking é um processo de conhecimento, pesquisa e experimentos. Muitas vezes pode até parecer algo desorganizado, pois é necessário pensar diferente, adaptar a trabalhar com incertezas e assumir riscos. É necessário aprimorar a capacidade intuitiva e definir padrões para construir soluções inovadoras com valores complementares. Um dos grandes desafios é deixar de lado nesse momento os métodos convencionais de resolver problemas. O objetivo principal não é a solução de um determinado problema e sim entender os mesmos ou as oportunidades que motivam a busca por soluções inovadoras, criativas e de valor.

Essa ferramenta sendo realizada de forma correta, pode levar a soluções surpreendentes no qual pode integrar processo de desenvolvimento de um serviço ou produto. O Design Thinking é muito mais que uma técnica, é uma forma de pensar e se comportar.

2 – VISÃO GERAL DO DESIGN THINKING

Existem três perspectivas, que estão correlacionadas e guiam o desenvolvimento da solução e do trabalho do time. Segue abaixo:

Inicie o Processo de Design Centrado no Ser Humano com o desejo.

1° É desejado pelo usuário? (O que as pessoas desejam?)

2° É viável financeiramente? (O que é viável em termos de investimento?

3° É factível tecnicamente? (O que é viável tecnicamente e do ponto de vista organizacional?)

A solução deve abranger esses três aspectos: deve ser desejável, viável financeiramente e tecnicamente.

É necessário que o usuário “deseje” a solução, e que suas necessidades e expectativas estejam alinhadas com o que será desenvolvido. Para isso se utilizam de empatia, imersão e muita pesquisa qualitativa com as pessoas e os usuários, para identificar oportunidades e ideias e assim pensar em soluções.

As fases de abordagem do Design Thinks são:

• Inspiração: É a fase de pesquisas qualitativas, coleta de dados, pesquisa de campo, entrevistas, etc. E necessário definir o público alvo, objetivos e resultados esperados. Escute os usuários e pessoas, observe como eles trabalham, se comportam, faça perguntas. O time deve fazer uma imersão no contexto do usuário ou da pessoa que o ajudará na identificação de oportunidades para soluções.

• Ideação: É a fase de gerar ideias a partir da síntese das pesquisas realizadas e do contato com os usuários. Crie. O time trabalha de forma colaborativa na co-criação de soluções, desenhos, modelos que ilustram potenciais soluções para as oportunidades identificadas na fase anterior. É aqui que entra a ideação e prototipação rápida e criação de vários protótipos. É importante coletar o feedback de pessoas e potenciais usuários durante esse processo.

• Implementação: Entregue. Nessa fase o time avalia como será a implementação. Avalia aspectos técnicos e financeiros, presença de competências organizacionais, estrutura e recursos para executar um plano de implementação de forma efetiva e obter o impacto e os resultados esperados.

3 – QUANDO UTILIZAR O DESIGN THINKING?

Qualquer tipo de projeto e desafio pode se beneficiar do Design Thinking. O importante aqui é compreender que para cada projeto é preciso questionar se a abordagem será suficiente para alcançar os objetivos esperados. É senso comum a necessidade de combinar diferentes métodos e técnicas.

A lista de potenciais oportunidades para aplicar o Design Thinking é extensa. Está sendo amplamente disseminada em projetos de consultoria em gestão e estratégia cujo resultado vai além de uma simples lista de recomendações para executivos e permite alcançar a fase de implementação, em que há uma entrega de um protótipo funcionando que pode ser replicado, escalado e implementado pela organização.

 

Compartilhe nas redes sociais:
Avalie este item
(0 votos)
Última modificação em Quarta, 17 Outubro 2018 21:26
Equipe Engenheiro S/A

Selfies labore, leggings cupidatat sunt taxidermy umami fanny pack typewriter hoodie art party voluptate. Listicle meditation paleo, drinking vinegar sint direct trade.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Mais Lidos

Siga pelo Facebook

Galeria

Novas luzes inteligentes para a iluminação urbana

O QUE OS EXECUTIVOS DEVEM EXIGIR DE SUAS EQUIPES DE PROJETOS

Piauí tem o maior parque de energia solar em operação na América do Sul

Introdução a Duração Agregada

A aposta de Bill Gates (Grupo BEV) em Energia Geotérmica

Os Problemas em Projetos

A Volkswagen vai recompensar os alemães que abandonarem os seus carros mais poluentes

BNDES aprova R$ 6,7 milhões para fazer rede de recarga de carros elétricos

Perovskita, o mineral raro que poderá deixar a internet 1000 vezes mais rápida

© 2019 Engenheiro S/A. Todos os direitos reservados.